The Latest

May 2, 2014
May 2, 2014
Algum seguidor online?
Bem, mudei de url…
Me acompanhe?
http://prosa-presa.tumblr.com/
Apr 6, 2014
Apr 6, 2014
Apr 6, 2014
Apr 6, 2014
Apr 6, 2014
Apr 3, 2014 / 30,585 notes
 
Apr 3, 2014 / 11,950 notes
Talvez eu queira demais. Não só de mim, entende? Dos outros também. Espero que descubram, por trás dos meus disfarces, toda a coisa. Porque as nossas angústias usam máscaras. E eu tenho uma mania de ser valente, dá até medo. O mundo entra na mochila e ela fica mais pesada que rocha. Aí brinco de tartaruga e quero levar tudo dentro. Nem eu me seguro, ora. Não sei porque insisto. Às vezes não dá, tenho que aceitar isso. Não é vergonhoso, nem fraco, é que não dá. Porque não. Mas, você sabe, não aceito essas respostas.
Clarissa Corrêa.   (via velejo)

(via velejo)

Apr 3, 2014 / 21,929 notes
Apr 3, 2014 / 268 notes

realismos:

Qual seria a intenção da chuva? Lavar a rua, matar a sede das plantas, ou mostrar a sua tristeza para o mundo assim como nós, chorando, com a intenção de tirar o peso por sobre os ombros. Quem dera que quando a chuva caísse lavasse a alma de todo o mundo.

(via realismos)

Apr 3, 2014 / 14,214 notes

(via fottografei)

Apr 3, 2014 / 49 notes
Por que há tão poucas pessoas interessantes? Em milhões, por que não há algumas? Devemos continuar a viver com esta espécie insípida e tediosa? O problema é que tenho de continuar a me relacionar com eles. Isto é, se eu quiser que as luzes continuem acesas, se eu quiser consertar este computador, se eu quiser dar descarga na privada, comprar um pneu novo, arrancar um dente ou abrir a minha barriga, tenho que continuar a me relacionar. Preciso dos desgraçados para as menores necessidades, mesmo que eles me causem horror. E horror é uma gentileza.
Charles Bukowski    (via florejaste)

(via florejaste)

Apr 3, 2014 / 4,163 notes
Apr 3, 2014 / 4,861 notes